Sobre nós

Vamos cultivar…

Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (C.A.F.A.P.) é uma resposta social especializada na “…prevenção e reparação de situações de risco psicossocial, …” Portaria n.º 139/2013, artigo 2.º

 

Percurso Evolutivo

A Obra do Frei Gil – Lij “Solar da Sagrada Família” acolhe, em regime de internato, e presta apoio psico-social a 30 crianças e jovens, dos 6 aos 21 anos de idade. Promove a reinserção social através de uma sustentada integração escolar e sócio-profissional e tem como linha orientadora de fundo o combate ou neutralização de situações de marginalização social e pobreza.

A sua acção inscreve-se numa acção comunitária integrada e multidimensional, contando com diversas parcerias: escolas, junta de freguesia, centro de saúde, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e outras IPSS’s locais, que permitam uma acção mais concertada com as crianças e jovens que acolhe. Por outro lado, empreende uma ação de complementaridade às escolas, acompanhando os conteúdos programáticos dos diferentes anos lectivos e prestando apoio educativo suplementar. A sala de estudo prevê uma planificação anual de actividades que pressupõe visitas de estudo ou outras consideradas, antecipadamente, importantes para os utentes.

Em Outubro de 2000, o Lij “Solar da Sagrada Família” iniciou a implementação do Projecto “Quinta Pedagógica do Ribeiro”, no âmbito do Programa “Ser Criança” que conheceu o seu términus em 30 de Setembro de 2004. Este constituiu-se como um projecto inovador não só para os utentes da Instituição bem como, para os alunos abrangidos (aproximadamente 100, nos três anos lectivos) e também para as suas famílias e comunidade envolvente, actuando numa perspectiva ecossistémica, reconhecendo as interligações entre a criança/jovem e os vários agentes educativos. Para a concretização das ações previstas neste projecto foram criadas algumas respostas (serviços e equipamentos): o espaço físico da Quinta Pedagógica (interno e externo), o GAAF (Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família) e a construção, reforço e fidelização da rede de parcerias. A nível global, preconizou-se a promoção de competências pessoais e sócio-relacionais dos alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE) e em risco educacional, através de diversas actividades consubstanciadas no trabalho de uma quinta, perspectivando-se a sua adequada inserção escolar e sócio-profissional. Indirectamente, o projecto visou ainda o aumento da qualidade de vida das famílias socialmente desfavorecidas, através da promoção social dos agregados e dos indivíduos isoladamente, melhoria das condições habitacionais e do desenvolvimento de ações facilitadoras da sua integração.

A experiência de três anos de trabalho desenvolvido no projecto “Quinta Pedagógica do Ribeiro” deu a conhecer uma dimensão bastante complexa dos problemas sociais de uma área geográfica muito marcada pela interioridade com um número insuficiente de respostas de âmbito social. Mais do que isto, permitiu três níveis de análise distintos que balizam o futuro da nossa intervenção: individual (aluno), familiar e comunitário (sistema escolar e educativo, saúde e social). Em primeiro lugar, constatou-se que o desinteresse, a desmotivação e o insucesso escolar são a parte visível de uma realidade individual que resulta do cruzamento de variáveis pessoais, familiares e escolares ou pedagógicas. A manifestação deste insucesso escolar é o culminar de toda uma evolução que, no entanto não se iniciou no 2º ciclo mas, muito antes, em idades bem mais precoces. Assim, importante será actuar de forma preventiva e não apenas remediativa no insucesso/abandono escolar. Contudo, se por um lado, a intervenção precoce é um domínio pouco desenvolvido na área geográfica em que nos inscrevemos, por outro, o sistema educativo e de saúde parecem não dispor de recursos e respostas específicas para fazer face a esta problemática. Ainda a este nível, constatamos que o sistema formativo também não constitui alternativa para os alunos com NEE e/ou em risco educacional, uma vez que a maior parte não consegue ingressar na formação profissional de ensino-aprendizagem, restando-lhes apenas a formação profissional especial das Cerci’s, de carácter muito limitativo e estigmatizante. Em termos familiares é necessário reforçar a intervenção com os agregados. Depois de um primeiro momento, em que – mais uma vez – a intervenção regista, sobretudo, um carácter remediativo, facilmente nos apercebemos que é fundamental desenvolver, não só um acompanhamento personalizado e sistemático, mas também um trabalho de promoção das competências parentais. Simultaneamente, urge capacitar pais que estão completamente alheados do percurso escolar dos filhos e que são os primeiros a desvalorizar o conceito de escola/aprendizagem facto que, a curto prazo, conduz ao insucesso e abandono escolar precoce.

O trabalho desenvolvido no âmbito do Projecto “Quinta Pedagógica do Ribeiro” centrou-se essencialmente no aluno – em articulação com as escolas parceiras – por um lado, e nos agregados familiares, por outro, que constituíram o outro grupo alvo para quem dirigimos a nossa acção. A particularidade da acção do projecto residiu na complementaridade de trabalho realizado com as escolas parceiras no combate ao insucesso escolar e ao abandono escolar precoce dos Alunos com Necessidades Educativas Especiais e/ou em risco educacional.

Não podemos deixar de salientar a acção pioneira do projecto, no combate a esta problemática: já em 1999, aquando da concepção do projecto, estávamos conscientes desta realidade dramática, agora eleita prioridade nacional e que se inscreve no recente Plano Nacional de Prevenção do Abandono Escolar “Eu não desisto”. A este propósito pode ler-se «a inserção profissional precoce, conexa ao abandono escolar (…) apresenta-se como um fenómeno reprodutor de desigualdades sociais, para o qual a Escola e o sistema de formação, por via de políticas de prevenção ao abandono escolar (…) têm responsabilidade de inverter. O Projecto “Quinta Pedagógica do Ribeiro” constituiu-se como uma medida concreta de prevenção e combate do abandono escolar precoce.

A intervenção do projecto, teve como finalidade última cortar com este ciclo, dotando os jovens de competências práticas/profissionais, através de actividades no âmbito de uma formação-acção, com características muito particulares e estabeleceu a ponte entre o mundo escolar e o mundo do trabalho, de uma forma sustentada. Neste sentido, a intervenção alargou-se também ao contexto familiar do aluno, porque fazê-lo sem intervir nas famílias seria tarefa inócua. Fazê-lo sem contar com a colaboração da escola e da comunidade seria também pouco acertado. Em suma, a acção do projecto dirigiu-se simultaneamente a estes quatro agentes: aluno, família, escola e comunidade e nestes três anos, a Quinta Pedagógica tornou-se o suporte de um verdadeiro trabalho em rede e congregador de esforços, potenciador da inversão do processo de exclusão social.

Em última análise, deparamo-nos com a insuficiência, quer em número, quer em qualidade, de respostas na área educativa e da saúde para as problemáticas atrás descritas. Apesar do impacto positivo do projecto “Ser Criança”, verificou-se um conjunto de necessidades que continuam a merecer especial atenção e para as quais nunca houve uma resposta directa devido ao facto de se trabalhar a criança separada do contexto familiar.

Partindo destas premissas, afigura-se-nos como imperativa a criação de um serviço que desenvolva actividades diferenciadas de natureza sócio-educativa, de carácter primário, secundário e terciário, destinadas a crianças e jovens em risco desenvolvimental/educacional e suas famílias. O CAFAP “Quinta do Ribeiro” é uma resposta inovadora que se distingue das existentes pela forma como se prevê a sua organização e capacidade de articulação de nível endógeno e exógeno. Propomo-nos a uma abordagem e intervenção ecossistémica, necessariamente pluridisciplinar que actue, em simultâneo, nas diferentes variáveis implicadas na promoção de processos de crescimento saudáveis e de resiliência escolar. A intervenção com a criança/jovem ou aluno exige trabalho articulado com famílias que depende da própria idiossincrasia da criança e das características particulares das famílias, bem como das problemáticas associadas a cada agregado. Por outro lado, este trabalho pode resumir-se à informação/ sensibilização aos mesmos ou ainda consistir na prestação de um apoio social efectivo. Um trabalho de sensibilização e de capacitação parental permitirá a valorização destes enquanto pessoas e dos seus filhos, bem como uma valorização de outros agentes educativos envolvidos no processo de desenvolvimento/crescimento dos mesmos.

Pelo exposto, esta é uma valência que pressupõe uma rede de parcerias dinâmica e eficiente. Neste sentido, pretende-se manter, fortalecer e fidelizar as parceiras entretanto estabelecidas no âmbito do Projecto “Quinta Pedagógica do Ribeiro”, nomeadamente com o Agrupamento de Escolas de Lobão, Agrupamento de Escolas de Canedo e Agrupamento de Escolas de Fiães, Centro de Saúde de Santa Maria da Feira, Comissão Protecção Crianças e Jovens de Santa Maria da Feira e Serviço Regional e Local da Segurança Social, bem como, alargar esta rede a outras entidades de âmbito concelhio e de acordo com as necessidades.

Estamos conscientes que as parcerias são muito distintas, quer pelo grau de solicitação, quer pelo de envolvimento e ainda, pela capacidade de resposta. Em termos de solicitação, e reportando-nos ao projecto desenvolvido, foram as escolas os parceiros mais intervenientes; não obstante, foram também os que mais se envolveram, de forma directa, no projecto: na resolução de problemas dos alunos e, indirectamente, dos utentes da Instituição; reorientação das práticas metodológicas de intervenção; colaboração na organização de actividades conjuntas, entre muitas outras. Entendemos, portanto, não só manter esta rede, mas alargá-la a outras entidades, capazes de tornar este trabalho ainda mais sustentado. Entretanto, surgiram algumas parcerias de carácter esporádico mas que, pela sua relevância na solução de alguns problemas, serão consubstanciadas numa rede de cooperação de parcerias informais que pretendemos de igual modo, manter e promover.

 

CAFAP “ Quinta do Ribeiro”

A criação desta resposta social resulta de uma evolução natural das actividades preconizadas pela entidade promotora, na procura do desenvolvimento comunitário. No desenvolvimento da sua intervenção o CAFAP “Quinta do Ribeiro” assume um conjunto de princípios chave e orientadores que caracterizam a sua filosofia de funcionamento e existência tais como: o respeito pelo desenvolvimento da criança, o respeito pelo outro, o respeito pela dignidade humana, o respeito pela privacidade e singularidade da Família e o respeito por cada parceiro. Sem nunca perder as suas máximas o CAFAP propõe-se a desenvolver actividades que visam despertar e movimentar um conjunto de saberes com vista à promoção pessoal e social dos utentes, bem como a uma efectiva participação activa e crescente autonomia.

A integração e inclusão social, como princípios fundamentais de todo o trabalho social, implicam uma intervenção sistemática, sistémica e exaustiva com os indivíduos e/ou famílias mais fragilizados e, fazendo apelo à sua participação, apontando para uma acção concertada e coordenada entre várias entidades parceiras, com vista à união de esforços, saberes e recursos.

O CAFAP “Quinta do Ribeiro” pretende ser uma estrutura polivalente e especializada no âmbito da prevenção, detecção, avaliação e intervenção inter e multidisciplinar, para crianças e jovens dos 0 aos 18 anos e respectivos agregados familiares. Promover a mediação entre as famílias e os serviços envolvidos, para facilitar a comunicação, potenciar contactos e promover a solução de eventuais dificuldades, que possam surgir na relação família/serviços, oferecendo-se como uma referência para a família.

A prossecução dos objectivos do Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental “Quinta do Ribeiro” é realizada através de três medidas inovadoras: Gabinete de Apoio à Família, Centro de Promoção do Desenvolvimento e Quinta Pedagógica.

Segue-se a apresentação das medidas:

 

“Cultivar Relações”- Gabinete de Apoio à Família

Os serviços desta medida são:

  • Intervenção Familiar
  • Aconselhamento e Mediação Familiar
  • Educação Sócio-Familiar
  •  Educação Parental
  • Terapia Familiar

“Semear Emoções” Centro de Promoção do Desenvolvimento

Os serviços desta medida são:

  • Serviços de Orientação Medico Psicopedagógico e Psicoterapeuta

Atendimento de crianças e adolescentes recorrendo a:

a) Diagnóstico e orientação terapêutica

b) Terapêutica

c) Apoio junto dos pais e educadores

  • Actividades de aconselhamento e acompanhamento de jovens

a) Consulta Psicológica

b) Apoio psicopedagógico

c) Orientação vocacional e ou profissional

d) Actividades facilitadoras do processo de socialização profissional

“Colher Caminhos” Quinta Pedagógica

Os serviços desta medida são:

Actividades Sócio educativas e lúdico pedagógicas

a) Tratamento de animais

b) Cultivo de flores e plantas

Actividades pré profissionais

a) Hortofloricultura

b) Fruticultura

c) Jardinagem