Visita de estudo a Montemor-o- Velho

IMG_0112

             Mais uma vez, aproveitámos as férias da Páscoa para realizar a nossa visita de estudo, assim, na segunda-feira 7 de abril, rumámos ao Concelho de Montemor-o-Velho.

                O tempo estava esplêndido e, logo pela manhã, a nossa primeira paragem foi em Gatões, na Fábrica de descasque e branqueamento de arroz da Cooperativa Agrícola de Montemor, onde fomos gentilmente guiados pela simpatia e sabedoria da Drª Anabela que nos explicou todo o processo pelo qual passa o arroz até ser embalado, desde a sua descarga na torva para as tulhas onde é armazenado a partir de setembro, até ser levado por sem-fins para as máquinas do descasque e depois para as de branqueamento que é feito por fricção em mós de pedra.

                De seguida, dirigimo-nos ao Castelo de Montemor-o-Velho, onde, levados pela amabilidade e cultura da Drª Cristina do Posto de Turismo, ouvimos factos e lendas impressionantes da nossa História de Portugal, sobretudo do período da Reconquista Cristã. A Lenda dos Ladrões, a Lenda dos Degolados e a Lenda dos Baús prenderam a atenção de todos. Além de visitarmos a Igreja de Santa Maria de Alcáçova, as ruínas do Paço das Infantas, as Portas do Castelo, a Torre de Atalaia e caminharmos no espaço das muralhas deste Castelo, ainda observámos a paisagem maravilhosa dos campos envolventes, alguns ainda submersos e a serem preparados para a cultura do arroz e do milho. Observámos também a fauna e a flora da Reserva Ecológica do Paúl da Quinta do Taipal e subimos e descemos a encosta do Castelo pela escada rolante.

                Depois, fomos almoçar no Parque de Merendas um saboroso piquenique preparado pelas nossas funcionárias, brincámos e conversámos até à hora de seguirmos para a Pastelaria “O Afonso” em Tentúgal. Aí, graças à gentileza da D. Sofia, conhecemos o complexo processo de confeção dos Pastéis de Tentúgal, o típico doce conventual que remonta ao século XVI, época da fundação do Convento da Nossa Senhora da Natividade em Tentúgal, pelas mãos das Irmãs da Ordem Carmelita. Inicialmente, esta delícia conventual seria em forma de meia-lua e era o mimo que as Irmãs faziam em jeito de agradecimento a todos os que as visitavam ou beneficiavam o Convento. Mais tarde, tomou o formato “palito” que se celebrizou como “pastel de Tentúgal”, quando, devido à difícil situação económica do Convento, as Irmãs Carmelitas de Tentúgal os começaram a vender na roda assegurando, assim, a sua sobrevivência. Observámos as pasteleiras a confecionarem esta iguaria típica, tudo começa na formação de um grande bolo de massa de farinha de trigo muito fina e água que se vai esticando muito bem, de forma cuidada e demorada sobre lençóis, até ficar muito fininha e ser  recortada em “lenços”. Posteriormente, essa massa é recheada com um delicioso creme de ovos, em forma de palitos que são depois cozidos no forno. Vimos também a confeção de Queijadas de Tentúgal e das Espigas de Montemor. Só delícias! Depois disto, estávamos já com água na boca e, antes do regresso a casa, tivemos direito a um saboroso momento de degustação, foi uma satisfação!

                Foi sem dúvida um belo dia de convívio e aprendizagem! Todos adoraram!

 

                                                                                     IMG_0003      IMG_0089IMG_0188

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *