Celebração da Época Natalícia na nossa Casa da Praia de Mira

IMG_0608  

Embora ainda faltem uns dias para o Natal, dezembro já vai a meio e já se vive na nossa Casa o ambiente próprio desta quadra. As aulas terminaram, alguns dos rapazes vão passar uns dias junto das famílias biológicas ou de famílias amigas, os vários espaços da nossa Casa já estão decorados com enfeites alusivos à época: Presépios, Árvore de Natal, luzes e muitas outras decorações, há alegria e magia no ar…
O culminar dessa alegria decorreu no dia 15 de dezembro, em que realizámos a nossa Ceia de Natal com todos os rapazes e funcionários. É sempre um momento muito especial de convívio e confraternização entre todos. Durante a tarde, realizaram-se todos os preparativos, as mesas foram magnificamente enfeitadas, confecionaram-se deliciosas iguarias: um belo jantar com entradas de paté, caldo verde, bacalhau grelhado com migas e batatinhas e diversos doces e sobremesas preparados cá e oferecidos pela comunidade (entidades, comércio local e alguns particulares). Tudo estava uma delícia! Agradecemos a todas as nossas funcionárias e amigos que nos proporcionaram este belo jantar!
A euforia maior veio logo de seguida com a chegada do Pai Natal que veio entregar as prendas oferecidas por várias Famílias Ajudantes de Pai Natal que receberam os pedidos dos rapazes e que tão bem corresponderam aos seus desejos. A abertura dos presentes tão desejados foi um momento de grande entusiasmo, os rostos inundavam-se de luz e alegria ao descobrirem a prenda desejada! Estava já a chegar a hora de ir descansar, tínhamos passado mais uma grande noite, graças ao apoio e à ajuda dos nossos funcionários e de tantos amigos e beneméritos da Obra do Frei Gil.
A todos os que contribuíram para termos um Natal mais feliz, bem como a todos os que durante todo o ano colaboram com donativos vários e atitudes solidárias, enviamos o nosso caloroso agradecimento e desejamos um Santo e Feliz Natal e um Ano Novo repleto de muita saúde, paz e amor!
Um grande abraço dos Rapazes do Frei Gil-Praia de Mira

IMG_0627IMG_0552

IMG_0541IMG_0546

Ida ao cinema no Forum Aveiro

IMG_9076  DSC_1720

Na passada quinta-feira 17 de julho, tivemos mais um estupendo dia de férias, pois foi-nos oferecida, pelo Departamento de Marketing  do Forum Aveiro, a possibilidade de termos um dia inesquecível com as nossas duas professoras. Saímos de casa pelas 11h45, fomos ao Expresso a Mira buscar dois dos nossos colegas que regressavam de uns dias com as famílias e rumámos, entusiasmados, em direção ao Forum Aveiro. Lá, foi-nos oferecido o almoço no Mac Donald’s, cada um escolheu o menu da sua preferência e ainda um gelado! Todos se deliciaram! Depois, pelas 13h40, fomos assistir ao filme Transformers que captou a atenção de todos graças aos efeitos especiais, às espetaculares cenas de ação e ao fantástico enredo. Todos adoraram! Mais uma vez, agradecemos especialmente ao Forum Aveiro e a quem se preocupa connosco e nos proporciona estes maravilhosos momentos!

Os rapazes do Frei Gil

 

Entrega do valor da Campanha Crowdfunding Sermais.org

No passado dia 26 de junho, as responsáveis pela Campanha Crowdfunding Sermais.org vieram à nossa Casa entregar o ‘cheque’ do valor que conseguiram angariar.  Este dinheiro será muito útil para serem feitas algumas obras de restauro tão necessárias na nossa Casa!

Bem-hajam pela iniciativa e pela dinamização desta fantástica campanha online.
10426139_522398717883094_3207880888086417558_n

Visita às estufas “Mariflores”

10461879_520836404619500_6181183233986738684_o 10371338_520842194618921_13638492536897335_o

Na quarta-feira 11 de Junho de 2014, à tarde, fomos visitar as Estufas Mariflores no Casal de São Tomé. Fomos gentilmente recebidos pela D. Catarina e pelo Sr. Engenheiro Marinho que nos deu a conhecer o trabalho e os produtos destas estufas. As Estufas Mariflores são especializadas em produção de ericas e azáleas, desde a estacaria até ao envasamento. São oito estufas aquecidas e um enorme espaço exterior para estágio das plantas adultas. As estufas têm aberturas zenitais (no cimo) e laterais que fecham e abrem automaticamente para manter a temperatura controlada com a ajuda de caldeiras a gás. Começámos por visitar a chamada maternidade, onde pequenas estacas de plantas-mãe são plantadas em alvéolos com trufa e colocadas em ambiente com calor, luz e humidade controlados até enraizarem. Depois, foi-nos explicado que essas plantas são envasadas, com a ajuda de uma máquina de envasar, esses vasos são dispostos no solo dentro das estufas, onde são cuidados e educados durante vários anos, para crescerem adequadamente e, mais tarde, são colocados no exterior num período de estágio de adaptação, até à entrega aos clientes. Vimos também a zona onde é preparado o substrato utilizado para a plantação, com a ajuda de uma máquina trituradora, faz-se uma mistura de areia, barro e húmus que fertilizará as plantas em crescimento. Estas estufas do Sr. Marinho produzem sobretudo para Portugal, França e Espanha e têm disponíveis mais de 100 cores de azálea e 68 variedades de ericas. No final da visita, aguardava-nos uma agradável surpresa: um delicioso lanche gentilmente oferecido pela empresa, todos ficaram muito contentes. Depois fomos até ao Parque de Lazer do Casal de São Tomé, onde todos brincaram e se divertiram em contacto com a natureza.
Foi mais uma tarde muito bem passada.

Os rapazes do Frei Gil – Junho de 2013

Experiência no Centro de Ciência Júnior Biocant“Biotecnologia à mesa”

10433896_518129414890199_6309074923420745867_n10441412_518129098223564_5652034372022600730_n

No passado dia 28 de maio, estivemos  com as nossas amigas Biocas em mais uma visita que realizámos ao  Centro de Ciência Júnior (CCJ), em Cantanhede.Com esta atividade, “Biotecnologia à mesa”,demos por encerradas as nossas experiências para este ano letivo.

Na atividade deste dia estudámos dois alimentos: o pão e o iogurte. Estes alimentos chegam à mesa depois de serem produzidos com a ajuda de seres vivos, microrganismos.

No pão, este tipo de microrganismos são as chamadas leveduras que pertencem ao grupo dos fungos e ajudam a fazer o pão. As leveduras são muito gulosas, pois quando adicionadas à massa do pão“comem”  todo o açúcar da farinha, no processo de fermentação e libertam dióxido de carbono( CO2) e etanol (álcool). São as bolhas de dióxido de carbono que fazem levedar a massa  para “crescer”. Verificámos então, na nossa experiência, em que usamos todos os materiais necessários, que na farinha em que adicionámos leveduras esta começou a fermentar e a borbulhar, na farinha sem leveduras, nada aconteceu.

No leite, tal como as leveduras, as  bactérias lácteas também se alimentam de açucares e ajudam a transformar o leite em iogurte através da fermentação láctea. O leite também tem açúcar, este açúcar chama-se lactose. As bactérias ao alimentarem-se  do açúcar do leite  produzem o ácido láctico. Assim, tentámos aprender como tudo acontecia e testámos, através da nossa experiência, a acidez do leite e do iogurte, para vermos se foi produzido ácido no processo de transformação de leite em iogurte. Para verificarmos este processo usámos uma solução de bromotimol que muda a sua cor, azul, sempre que o valor de PH varia. Por fim,observámos as bactérias lácteas ao microscópio.

Foi uma tarde divertida e de aprendizagem.

Um muito obrigado, e um abraço  às nossas amigas Biocas, para o ano lá estaremos…

Os rapazes do Frei Gil

Notícia do Jornal Miraonline: OBRA DO FREI GIL: UM EXEMPLO NA PRAIA DE MIRA

entrada 003
São três lares e um infantário!
A Obra do Frei Gil é uma Instituição de Solidariedade Social muito bem conceituada em todo o país.
Tem, à sua responsabilidade, mais de cem crianças e jovens, e faz tudo por tudo para lhes proporcionar um projeto de vida de autonomia, para poderem – um dia – seguir o seu caminho.
Por este motivo – o de divulgar o belíssimo trabalho que IPSS’s como esta fazem, chamando para si uma parte do “social” que deve ser função do Estado – fomos procurar saber como corre o dia-a-dia, de uma casa como esta…

Estamos na Casa da Criança, na Praia de Mira, onde somos recebido pelo seu Diretor Técnico, Gonçalo Mendes.
Afável e muito simpático, vai discorrendo tranquilamente sobre temas que tão bem conhece. Este assistente social de profissão, dá-nos em rápidas pinceladas uma “fotografia” do que é a grandeza deste projeto que abrange 30 crianças e jovens neste momento, mas que em breve trecho poderão passar a ser 35.
Na realidade, todo o complexo sistema, que visa a integração social, e que advém da Obra do Frei Gil na Praia de Mira tem por objetivo acolher, ajudar, promover, dar o devido valor e fazer crescer cada um destes seres humanos que tem à sua guarda, e que – na verdade – são jovens (infelizmente) negligenciados.
Para isto, ali trabalham 19 funcionários nas mais variadas funções, em conjunto com voluntários que ajudam nesta grandiosa estrutura social, em coisas tão diversas como nas explicações escolares, na costura, na organização dos “tempos livres” e em outras tarefas pertinentes.
Sim! Ali, efetivamente, trabalha-se 24 horas por dia, 365 dias por ano…
Já agora, não podia ser diferente: todos os envolvidos neste projeto são muito dedicados – com certeza – o que compensa um pouco, o pouco que o Estado entrega à Casa da Criança, pois – em boa verdade – o acordo para subsistência é manifestamente insuficiente para os gastos de uma instituição como esta, que procura valorizar cada cêntimo, já que o que se recebe cobre apenas, em média, 60% do orçamento. É manifestamente pouco, mas procura-se diariamente, encontrar alternativas para esta lacuna…
Mas, é preciso dizê-lo: trabalhar com estas crianças e jovens, apesar das dificuldades que surgem minuto após minuto, é algo extremamente compensador.
Em cada sorriso, em cada vitória individualmente conquistada, em cada gesto de ternura que se recebe, cada um dos que participam nas tarefas diárias desta casa encontra um motivo a mais para sentir-se feliz… e, útil.
Aqui fica um excelente exemplo de onde a vontade de vencer de cada um, pode levar ao sucesso: a pequena/grande história de um utente que lá cresceu, tirou uma licenciatura em Turismo, fez um mestrado, e hoje é gestor de uma importante unidade hoteleira, em… Timor-Loro Sae!
Sem dúvidas, podemos dizer: vale a pena cada dia “investido” em cada um destes rapazes…
(in: www.miraonline.com.pt – 7 maio 2014)

Visita de estudo a Montemor-o- Velho

IMG_0112

             Mais uma vez, aproveitámos as férias da Páscoa para realizar a nossa visita de estudo, assim, na segunda-feira 7 de abril, rumámos ao Concelho de Montemor-o-Velho.

                O tempo estava esplêndido e, logo pela manhã, a nossa primeira paragem foi em Gatões, na Fábrica de descasque e branqueamento de arroz da Cooperativa Agrícola de Montemor, onde fomos gentilmente guiados pela simpatia e sabedoria da Drª Anabela que nos explicou todo o processo pelo qual passa o arroz até ser embalado, desde a sua descarga na torva para as tulhas onde é armazenado a partir de setembro, até ser levado por sem-fins para as máquinas do descasque e depois para as de branqueamento que é feito por fricção em mós de pedra.

                De seguida, dirigimo-nos ao Castelo de Montemor-o-Velho, onde, levados pela amabilidade e cultura da Drª Cristina do Posto de Turismo, ouvimos factos e lendas impressionantes da nossa História de Portugal, sobretudo do período da Reconquista Cristã. A Lenda dos Ladrões, a Lenda dos Degolados e a Lenda dos Baús prenderam a atenção de todos. Além de visitarmos a Igreja de Santa Maria de Alcáçova, as ruínas do Paço das Infantas, as Portas do Castelo, a Torre de Atalaia e caminharmos no espaço das muralhas deste Castelo, ainda observámos a paisagem maravilhosa dos campos envolventes, alguns ainda submersos e a serem preparados para a cultura do arroz e do milho. Observámos também a fauna e a flora da Reserva Ecológica do Paúl da Quinta do Taipal e subimos e descemos a encosta do Castelo pela escada rolante.

                Depois, fomos almoçar no Parque de Merendas um saboroso piquenique preparado pelas nossas funcionárias, brincámos e conversámos até à hora de seguirmos para a Pastelaria “O Afonso” em Tentúgal. Aí, graças à gentileza da D. Sofia, conhecemos o complexo processo de confeção dos Pastéis de Tentúgal, o típico doce conventual que remonta ao século XVI, época da fundação do Convento da Nossa Senhora da Natividade em Tentúgal, pelas mãos das Irmãs da Ordem Carmelita. Inicialmente, esta delícia conventual seria em forma de meia-lua e era o mimo que as Irmãs faziam em jeito de agradecimento a todos os que as visitavam ou beneficiavam o Convento. Mais tarde, tomou o formato “palito” que se celebrizou como “pastel de Tentúgal”, quando, devido à difícil situação económica do Convento, as Irmãs Carmelitas de Tentúgal os começaram a vender na roda assegurando, assim, a sua sobrevivência. Observámos as pasteleiras a confecionarem esta iguaria típica, tudo começa na formação de um grande bolo de massa de farinha de trigo muito fina e água que se vai esticando muito bem, de forma cuidada e demorada sobre lençóis, até ficar muito fininha e ser  recortada em “lenços”. Posteriormente, essa massa é recheada com um delicioso creme de ovos, em forma de palitos que são depois cozidos no forno. Vimos também a confeção de Queijadas de Tentúgal e das Espigas de Montemor. Só delícias! Depois disto, estávamos já com água na boca e, antes do regresso a casa, tivemos direito a um saboroso momento de degustação, foi uma satisfação!

                Foi sem dúvida um belo dia de convívio e aprendizagem! Todos adoraram!

 

                                                                                     IMG_0003      IMG_0089IMG_0188

Campanha de consignação do IRS a favor da Obra do Frei Gil

CARTAZ

Olá amigos!

Mais uma vez vamos dar início à Campanha de consignação do IRS, desta feita para o do ano de 2013.
Como sabem, é possível fazer donativos diretos (0,5% do imposto pago), SEM QUALQUER ENCARGO PARA O CONTRIBUINTE, fazendo-os reverter para o nº de contribuinte de uma instituição aderente. É o ato solidário à distância da simples VONTADE de ajudar o próximo. Por isso, seja a nosso favor ou não, NÃO DEIXEM DE USUFRUIR desta oportunidade de participar ativamente na ajuda a instituições que, por sua vez, tanto nos ajudam…

O nosso nº é o 501 834 320.

Por favor, ajudem-nos a pedir para os que mais precisam – as crianças desprotegidas que estão à responsabilidade da Obra do Frei Gil.
Não temos vergonha de vos pedir… Não tenham, vocês, vergonha de pedir, quando o fizerem com a dignidade de quem quer bem para os outros.
Relembramos que os fundos angariados NÃO revertem a favor do Frei Gil da Praia de Mira. mas sim das casas da Obra do Frei Gil.

Se precisarem de material gráfico para divulgar a nossa campanha nas vossas empresas, empregos, junto dos vossos amigos, por favor não hesitem em pedi-lo por mensagem privada, eviando-nos o vosso mail!

Gratos pelo vosso empenho que, em anos anteriores, tem sido imenso!
Vamos ao trabalho?